Atendimento
(11) 4993-5400
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Últimas Notícias

article thumbnailEspecialistas em genética, reprodução humana e em doenças raras estarão à disposição de pacientes em evento na Capital   A Faculdade de Medicina do ABC (FMABC) realiza de 18 a 20 de maio a segunda...
Evento no Guarujá será em 29 de março, no Teatro Municipal Procópio Ferreira
 
O Instituto de Infectologia Emílio Ribas II, no Guarujá, organiza em 29 de março nova edição do ciclo de palestras para orientação e conscientização de profissionais da saúde. O tema pautado para a ocasião será ‘Febre Amarela’. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Para o dia do evento, pede-se a doação de um quilo de alimento não perecível, que será entregue a pessoas em situação de vulnerabilidade social. Destinado a profissionais e estudantes da área da saúde, agentes comunitários e conselheiros de saúde, o evento das 8h30 às 12h terá lugar no Teatro Municipal Procópio Ferreira (Av. D. Pedro I, 350, Tejereba - Guarujá).
 
FEBRE AMARELA
Toda pessoa que reside ou vai viajar para regiões silvestres, rurais ou de mata, que são Áreas com Recomendação da Vacina contra febre amarela, deve se imunizar. A orientação do Ministério da Saúde se justifica porque a doença tem maior número de casos nos meses de dezembro a maio e a transmissão é considerada possível em grande parte do Brasil. A vacina contra a febre amarela é ofertada no Calendário Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS) e é enviada, mensalmente, para todo o país. Em 2016, foram enviadas aos Estados mais de 16 milhões de doses, sendo 2,7 milhões para o Estado de São Paulo.
 
A vacina é altamente eficaz e segura para o uso, a partir dos 9 meses de idade, em residentes e viajantes a áreas endêmicas ou, a partir de seis meses de idade, em situações de surto da doença. Todos os Estados, nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), estão abastecidos com a vacina contra febre amarela e o país tem estoque suficiente para atender toda a população nas situações recomendadas.
 
Os sintomas iniciais da doença incluem febre, calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Cerca de 20% a 50% das pessoas desenvolvem doença grave, podendo vir a óbito.
 
Às pessoas que identificarem alguns destes sinais, o Ministério da Saúde recomenda procurar um médico na unidade de saúde mais próxima e informar sobre qualquer viagem para áreas de risco nos 15 dias anteriores ao início dos sintomas. Essa orientação é importante, principalmente, àqueles que realizaram atividades em áreas rurais, silvestres ou de mata.
 
Além da vacinação, as medidas preventivas contra a febre amarela também incluem a eliminação dos criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença e também da dengue, Zika vírus, febre chikungunya e do vírus Mayaro (com informações da Agência Saúde/Ministério da Saúde).