fbpx

Portaria 1: Av. Príncipe de Gales, 821,
Portaria 2: Av. Lauro Gomes, 2000

(11) 4993-5400
fmabc@fmabc.br

Centro Universitário FMABC

Contra o câncer de pele, ‘Dezembro Laranja’ terá exames gratuitos na região do ABC

Pin It

Publicado em: 01/12/2022

Organizada pela disciplina de Dermatologia do Centro Universitário FMABC, ação em Santo André será no próximo sábado (03/12), das 9h às 15h

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) organiza no próximo sábado (3 de dezembro) um mutirão nacional de atendimentos pelo “Dezembro Laranja”, o mês de conscientização e prevenção do câncer da pele. Serão cerca de 100 postos de atendimento em todo o Brasil, com envolvimento milhares de dermatologistas voluntários. No Grande ABC, o mutirão será coordenado pela disciplina de Dermatologia do Centro Universitário Faculdade de Medicina do ABC (FMABC). Os trabalhos ocorrerão no Instituto da Pele da FMABC, no próprio campus universitário (Av. Príncipe de Gales, 821 - Santo André). Das 9h às 15h, a população terá à disposição consultas gratuitas com especialistas e poderá realizar o exame preventivo.

Durante o mutirão, os interessados participarão inicialmente de uma palestra de 10 minutos sobre os riscos para o câncer de pele e as formas de prevenção. Em seguida, todos passarão por atendimento específico, com realização de exames dermatológicos e de dermatoscopia (avaliação de assimetria, bordas, coloração e diâmetro das pintas). Casos suspeitos ou eletivos serão encaminhados para tratamento na rede pública municipal.

Cerca de 30 profissionais da FMABC estarão envolvidos nos atendimentos, entre dermatologistas, médicos residentes e alunos de Medicina membros da Lapac - Liga de Atendimento e Prevenção às Afecções Cutâneas.

ALTA INCIDÊNCIA

O câncer da pele é provocado pelo crescimento anormal das células que compõem a pele. Conforme detalhado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, existem diferentes tipos de câncer da pele, que podem se manifestar de formas distintas. Os mais comuns são o carcinoma basocelular e o carcinoma espinocelu­lar – chamados de cânceres não melanoma –, que apresentam altos índices de cura quando diagnosticados e tratados precocemente. Um terceiro tipo, o melanoma, apesar de não ser o câncer de pele mais incidente, é o mais agressivo e potencialmente letal. No entanto, quando descoberto no início, tem mais de 90% de chances de cura.

“O câncer de pele ocorre a partir do efeito cumulativo da radiação solar e costuma se manifestar na população acima de 50 anos. É importante que as pessoas se conscientizem da necessidade da prevenção e passem periodicamente por avaliação dermatológica. A maioria dos casos é tratável e curável quando descobertos ainda no início. Por isso a importância do diagnóstico precoce, para proporcionar melhor prognóstico”, explica a professora de Dermatologia da FMABC, Dra. Cristina Laczynski, que coordena a campanha no ABC Paulista.

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima quase 230 mil novos casos de câncer de pele para 2022. Trata-se do tumor mais frequente no Brasil e corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no País. As principais características de risco são a presença de sardas, antecedentes na família, ferimentos que não cicatrizam com facilidade, pintas, sinais e verrugas que mudam de tamanho e cor, além de lesões avermelhadas. Todos que possuírem qualquer sinal suspeito devem comparecer à campanha.

O horário que apresenta risco mais acentuado de exposição ao sol e que deve ser evitado é entre 10h e 16h, quando há maior incidência de raios ultravioletas. O filtro solar com mínimo de 30 FPS (fator de proteção solar) ainda é um dos principais meios de proteção e deve ser passado a cada duas horas ou após longos períodos de imersão na água. O uso de chapéus de abas largas, de óculos de sol com proteção UV e de roupas que cubram boa parte do corpo, diminuindo a exposição direta da pele ao sol, também é recomendado pelos dermatologistas.

MUTIRÃO NACIONAL

Com a mensagem central “Não espere até sentir na pele”, a campanha nacional da Sociedade Brasileira de Dermatologia pretende conscientizar e educar as pessoas sobre os riscos do câncer da pele decorrentes da exposição excessiva ao sol sem proteção. A ação deste ano retoma os atendimentos presenciais e gratuitos. Em 2019, último ano em que foi realizada ação presencial por conta da pandemia, foram atendidas mais de 25 mil pessoas no País, em cerca de 130 postos. Desde a sua implementação, em 1999, a iniciativa já beneficiou mais de 600 mil pessoas.