Portaria 1: Av. Príncipe de Gales, 821,
Portaria 2: Av. Lauro Gomes, 2000

(11) 4993-5400
fmabc@fmabc.br

Centro Universitário Saúde ABC

FMABC padroniza aulas on-line para todos os cursos durante pandemia

Pin It

Em meio à quarentena, cursos adotam plataforma ‘Google For Education’ e mantêm atividades do ano letivo com aulas e avaliações virtuais

O Centro Universitário Saúde ABC - FMABC, em Santo André, se adaptou à pandemia provocada pela Covid-19 e desenvolveu tecnologias capazes de manter o cronograma pedagógico dos seus nove cursos da área de ciências da saúde. Com apoio operacional e educacional do Núcleo de Educação a Distância (NEaD) da instituição, alunos e professores têm utilizado a plataforma educacional do Google (Google for Education) para desenvolvimento regular das atividades do ano letivo. A iniciativa segue a portaria 345 do Ministério da Educação, de 19 de março de 2020, que autoriza em caráter excepcional a substituição das disciplinas presenciais em andamento por aulas virtuais nas instituições de ensino superior integrantes do sistema federal de ensino.

O ambiente virtual é blindado contra ataques de hackers, propagandas, vírus e malwares, spams e outras interferências. A plataforma permite a realização de videoconferências com chat, ao vivo, podendo ser gravadas para posterior disponibilização à comunidade acadêmica, além de oferecer espaço em nuvem com capacidade de gigabytes ilimitada.

Com acesso fácil e descomplicado, as ferramentas são simples de operar. Sempre atualizadas com melhorias, atendem totalmente às demandas dos docentes para envio de materiais, permitem o estabelecimento de atendimentos on-line imediatos ou com data e hora marcados e realização de aulas com compartilhamento de tela. Neste formato, os alunos veem o que o professor mostra, ouvem suas explicações e esclarecem dúvidas ao mesmo tempo. A plataforma também permite a criação de atividades com pontuação para nota, utilização de rubricas para avaliação e com total fluidez nas devolutivas contínuas e sistemáticas, delineando um processo completo de avaliação formativa. Desta forma, professores e alunos trabalham de maneira colaborativa, considerada uma das principais premissas da educação a distância de qualidade.

A escolha da plataforma e a solicitação de implantação, feitas pelo NEaD, levaram em conta a praticidade e a completude da ferramenta, além da facilidade de uso dos seus aplicativos por professores e alunos. As comunicações funcionam de forma síncrona (com diálogo em tempo real, com fluidez semelhante às aulas presenciais) e assíncrona (mensagens gravadas e armazenadas em ambiente virtual para posterior visualização). Professores e alunos encontram-se em atividades síncronas durante o período regular das aulas de cada disciplina. As aulas são gravadas e depois disponibilizadas em outro aplicativo da mesma plataforma, de modo que os alunos possam revê-las quantas vezes quiserem.

Na FMABC o processo de educação virtual é coordenado pela professora de Fisicoquímica e de Química Geral e Inorgânica do curso de Farmácia, Dra. Lucia Machado de Andrade, certificada pelo próprio Google como "Educador Nível 1", "Educador Nível 2" e "Google Trainer". A docente, doutora em Ciência e Tecnologia pela Universidade Federal do ABC (UFABC), atende às demandas da comunidade acadêmica da FMABC em busca do alinhamento do uso das ferramentas às boas práticas educacionais e pedagógicas. O NEaD possui serviço de apoio aos docentes para esclarecimento de dúvidas pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Segundo a professora, boas ferramentas tecnológicas — usadas de forma adequada pedagogicamente — também estimulam o aumento do engajamento dos estudantes com seus processos educativos. Da mesma forma, há impacto positivo na motivação dos docentes, que estabelecem práticas de ensino e de aprendizagem colaborativas e, portanto, contribuem com a melhoria da qualidade do processo educativo de modo geral.

“Hoje, ainda mais do que antigamente, uma boa formação acadêmica não é aquela em que conteúdos são transmitidos do professor ao aluno. Aprender preconiza ação, e não passividade. Preconiza participação ativa do sujeito aprendiz, seja na resolução de problemas, sendo proativos, mediadores de conflitos ou trabalhando harmonicamente em grupo. O uso de tecnologias educacionais se alinha a esta forma de fazer educação, uma vez que acentua no indivíduo sua autonomia e seu protagonismo. É nessa direção que a FMABC caminha. Não seremos mais os mesmos. Alunos, professores, coordenações de curso, reitoria, pró-reitoria de graduação e toda a comunidade acadêmica se percebem mais próximos, ainda que em tempos de isolamento social e físico, pois as tecnologias de ensino nos aproximaram ainda mais e nos mostraram de forma quase palpável o quanto já caminhávamos e continuaremos caminhando em consonância, sempre visando o melhor para nossos alunos”, resume a docente.

NA PRÁTICA
Para o vice-reitor do Centro Universitário Saúde ABC e professor titular da disciplina de Análises Clínicas do Departamento de Patologia, Dr. Fernando Luiz Affonso Fonseca, os novos modelos de ensino a distância têm funcionado bem, permitindo a continuidade das atividades mesmo em meio à pandemia e ao isolamento social. “Estamos conseguindo manter as aulas e realizar as avaliações, garantindo que os alunos avancem no curso e no aprendizado das disciplinas”, considera o docente, que exemplifica: “Em meados de abril aplicamos prova da disciplina de Hematologia Clínica para o 5º ano de Farmácia. Foi totalmente virtual. Postamos a avaliação e contamos o tempo para que os alunos salvassem as respostas em um arquivo na nuvem. Avaliando o desempenho, percebemos que o rendimento foi muito parecido com o da turma de 2019. O conteúdo ministrado foi o mesmo nos dois anos e a média das notas é muito semelhante”, informa Fonseca, que acredita que os modelos são equivalentes, sem prejuízos aos estudantes: “Evidentemente, todos nós ainda estamos nos adaptando e um grande desafio é manter a concentração dos alunos nas plataformas virtuais. Estamos reaprendendo. É um novo método de ensino-aprendizagem e acredito que muita coisa vai mudar após a pandemia”.

Médico assistente do ambulatório de Pneumologia do centro universitário, Dr. Franco Chies Martins também tem se adaptado à nova rotina de educação a distância com os alunos do 5º e 6º anos do curso de Medicina. Especialista em medicina do sono, a aula sobre apneia do sono já foi administrada pelo ambiente virtual. “Conversamos com as representantes das salas e agendamos nosso horário. Enviamos previamente artigos científicos para que a turma fizesse a pré-leitura. Depois, compartilhei a tela com vídeos, áudios e chat online. Houve interação com perguntas e dúvidas, além de anotação de presença virtual dos alunos. Tem sido uma experiência positiva e com novo dinamismo de conteúdo”, avalia.